• Sonaira D'Ávila

Dicas para entender e curtir a Oktoberfest na Alemanha

Atualizado: 5 de Out de 2019


O'zapft is! (algo tipo "está aberto" em dialeto bávaro) é a palavra mágica que em alemão significa "Angezapft ist es”  e  anuncia que começou a  Oktoberfest. E, aqui estamos nós na capital da Bavária: Munique.  


Às margens do rio Isar, München (Munique) é a terceira maior cidade da Alemanha, “eine Grosstadt”, com cerca de 1,6 milhão de habitantes. Foi destruída pela metade na Segunda Guerra Mundial e posteriormente reconstruída como originalmente eram alguns dos seus mais emblemáticos edifícios nos anos 1800. 


Munique hoje é um dos estados com uma arquitetura impressionante e uma vida cultural  vibrante que abriga o maior festival de cerveja do mundo- Oktoberfest, ou como se diz por aqui :“Wiesn".

Para aproveitar o melhor desta festa,  aqui vão algumas dicas para entender e curtir a Oktoberfest na Alemanha.


A Oktoberfest é realmente uma festa para todos. Para os amantes de cerveja então  é um paraíso. Apesar do nome, a festa começa em setembro e este ano celebra a sua 185º edição dos seus 206 anos.  É com certeza a maior festa de cerveja do mundo.

Ela teve de ser cancelada pouco mais de 20 vezes devido a epidemias, guerras e até inflação. E inclusive sofreu um ataque a bomba em 1980. Tem  até um memorial em homenagem das vítimas por lá.


Origem da Oktoberfest

A festa foi criada em 1810 para celebrar o casamento do príncipe-herdeiro Ludwig com a princesa Therese von Sachsen-Hildburghausen. O povo da cidade de Munique foi convidado para participar das comemorações do casamento nos campos em frente à porta da cidade. A história nos ajuda a entender a origem do nome” Theresienwiese"( gramado de Theresa) que é o local onde ocorre a Oktoberfest.


Hoje popularmente, as pessoas chamam o local e a festa de “ Wiesn”. Depois disso, a festa foi repetida anualmente para o povo, sendo cancelada em 1854 e 1873 devido à cólera, bem como nos anos de guerras e pós-guerra. Só após 1946, a festa se desenvolveu. E, já em 1950, recebia de 5 milhões a 6 milhões de visitantes. A estimativa é de que até 500 mil pessoas passaram por aqui, por dia, nos 30 hectares da Oktoberfest


Como começa

O evento começa com um desfile de rua de todas as cervejarias desde  1887, com o tradicional “Wiesn-Einzug der Festwirte und Brauereien”. O início da festa é anunciado depois do ritual de abertura com a martelada do primeiro barril pelo prefeito da cidade. É lá na tenda do Schottenhamel que se proclama o tradicional “O'zapft is! “.


Mas, já estamos na reta final destes 17 dias de “loucura” que começarão em 22 de Setembro e vai até amanhã, 7 de Outubro, onze e meia da manhã em ponto. Vale se programar e vir mergulhar neste evento num próximo ano se você ainda não veio. 

O melhor horário para quem quer curtir sem estresse e com crianças é o horário que as famílias costumam vir: de manhã até 15h. Depois desta hora começa realmente a ficar bem cheio e nos fins de semana fica LOTADO. 


Se orientando por lá Todas as tendas servem cerveja das cervejaria de Munique. São cervejas feitas seguindo a lei de pureza da Alemanha que completou500  anos no ano passado.

Então é importante, com antecedência, fazer o dever de casa e reservar hotel e transportes. 

Não estranhe se no voo da Lufthansa você vir as aeromoças de Dirndl e elas te servirem cerveja direto do barril numa caneca. É pra entrar no clima.


O local do Oktoberfest é de fácil acesso de metrô que vão e voltam LOTADOS. É meio apavorante ver uma massa de pessoas entrando e saindo. Mas tudo funciona bem. A festa tem hora pra começar e acabar. E, acredite, começa cedo!



Quem vem a primeira vez estranha de ver uma multidão de pessoas do mundo inteiro vestidas com trajes típicos, bebendo cerveja  nas ruas, nos ônibus, trens e todos indo para o mesmo local, logo no começo do dia. Durante a semana as tendas abrem às 10 horas e nos fins de semana às 9 horas. À meia-noite, a festa termina. 

"Ah! Mas a gente vai chegar lá e ir entrando." Esqueça, pode se programar para acordar cedo, esperar as 14  tendas abrirem ou enfrentar a fila horas para entrar se chegar mais tarde.  


A entrada nas tendas é livre mas você tem que consumir ali. Um cerveja na caneca de 1 litro, uma Mass, custa 11 euros por exemplo. Para grupos e os melhores lugares, as reservas são feitas de um ano para o outro.


Cada tenda tem uma atmosfera e decoração diferente, mas o modelo é praticamente o mesmo. Bandas tocando, mesas grandes para se confraternizar, cervejas, pratos típicos, homens de “lederhosen” e camisas branca ou xadrez e mulheres de “Dirndl”, trajes típicos.


As reservas das mesas para grupos são feitas de um ano para o outro. E,  custam caro. 

Uma das tendas favoritas que fazem parte da história da Oktoberfest é  a tenda da Löwenbräu-Festhalle com o seu Leão de 4,5 metros de altura que solta um ruído de 2 em 2 minutos. Tem capacidade para 5.700 pessoas sentadas dentro e mais 2.800 fora da tenda.

Vale conferir todas elas aqui.


Oktoberfest: os trajes típicos

“Trachtenllook” ou simplesmente “Tracht” são os costumes tradicionais da Bavária que surgiram no século 18. Eram de uso dos fazendeiros e camponeses. Os vestidos são feitos de algodão e as calças de couro. Esses trajes passaram a ser usados pelos nobres por volta de 1870. Só aí, começam a ser utilizados outros tecidos como a seda. Os “Trachts” voltaram a ser aceitos e usados por todos com muito orgulho. É um símbolo de tradição e estão muito associados com um pensamento mais conservador e com a identidade dos Bávaros.



Dirndl e Lederhosen são nomes estranhos pra nós, e nada fácil de serem pronunciados

“Dirndl” é um vestido com corpete bem apertado, acinturado, saia rodada e  avental que deve ser amarrado do lado certo, com blusa branca com rendinha e mangas curtas, por cima de um sutiã enorme que aparece um pouco e realça o decote e valoriza os peito. A ideia é de uma silhueta fina, acinturada, que eleva o busto: “muita madeira para queimar” dizem os rapazes por aqui. Meia calça, casquinho, acessórios e bolsinha especiais para o “Wiesn”. E cabelos enfeitados com flores ou os arcos presos em coques ou trançados.

 

É muito comum as lojas venderem os costumes e as visitantes saírem alegres com seu “Dirndl” por aí. Então convém saber os códigos da vestimenta que para muitos parece uma fantasia.

Free photo Pixabay

Free photo Pixabay

Laço do Dirndl, entendendo os sinais

O mundo inteiro ali e é inevitável uma paquera básica. Então atenção , na hora da cerveja, “Bierzelt”, a dica é olhar de que lado o laço do Dirndl está amarado.

Laço no meio, a frente

Se o laço do avental estiver amarrado na frente , pode significar que a mulher ainda não tem um relacionamento estável e que é possível fazer uma tentativa. Antigamente era um sinal que a moça era virgem. Sinal Amarelo.


Laço à esquerda

Laço amarrado à esquerda de quem usa e a direita de quem vê. Como diz um antigo provérbio alemão diz: "Schleife links, Glück bringt's”. Laço a esquerda traz boa sorte.

Sinal que a mulher é solteira e disponível. Sinal verde pra se “chegar”.


Laço à direita

O laço à direita de quem usa e a esquerda de quem vê.

Sinal que a mulher é comprometida ou casada e que uma tentativa de aproximação não é bem-vinda.

"Finger weg!”( dedos fora, não me toque). Sinal vermelho, ok! Já os homens e a mulherada mais jovem, usam as Lederhosen , as clássicas calças de couro com ou sem os suspensórios, meias de algodão ou lã até o fjoelho ou só na batata da perna. sapato fechado , camisa social quadriculada ou branca cintos m e talves uma jaqueta. E chapéu, alaguns estarnhos, eu diria ridículos, com um frango que canta e se mexe. Outros são classicos com medalahas e penas e reperesentam status.

Existem os Trachts do dia a dia e os de festas e por aqui na Bavaria eles são sagrados e usados com muito respeito.

Free photo Pixabay


O que comer na Oktoberfest

O cardápio é o mesmo das “Herbsfest” ou “Biergarten” por aqui: cerveja de litro (Mass), salsicha( Wurst), joelho de porco grelhado ( Haxn) , frangos assados ( Hendl), Brezel, toneladas de salada de batata ( kartoffelsalate), muitos  corações de Lebkuchen ( um pão de mel com açúcar colorido de confeiteiro ). Os alemães são “crianças”, adoram esse tipo de programa. É um programa para toda  família.



Os mais pedidos

Os clássicos “Kasspatzn” e “Kaiserschmarrn” fazem tanto sucesso quanto o “Wiesn Hendl”. Até agora, 70 bois assados foram comidos, 29 bezerros, e um número incontável de salsichas e “Haxnsemmeln”. Fora, claro, os algodão doces, as amêndoas caramelizadas e as frutas de chocolate que são um "must" para todos os fãs da “Wiesn”. Os números oficiais saem na semana.

O que vai ouvir nas tendas de cerveja

As tendas tem uma programação de bandas famosas, algumas emendam com a Oktoberfest de Blumenau.

 

Mas quais são os Wiesnhit: As músicas campeãs que tocam no intervalo?

"Cordula Grün" do cantor vienense Josh, seguido da antiga canção partidária, "Bella Ciao", lidera o desfile dos Wiesnhits no intervalo. Insuperável: "Uma alegria de aconchego!” Unübertroffen: ,,Ein Prosit der Gemütlichkeit!".


Mais que cerveja

Além das 14 tendas e diversas opções de barracas de comida, o Oktoberfest é um grande parque de diversões com inúmeras atrações. E, ainda tem uma área vintage com foco na história, nos tradição.

Brinquedos para as crianças e nas atrações do festival para toda a família. Souvenirs, como chapéus engraçados, T-shirts, imãs de geladeira, bichinhos de pelúcia, balões e corações são os mais disputados.


Ah! E se você é bom de copo, não esqueça de comprar um laço para as canecas, assim você não perde a sua!

E pra você que me lê, passa no nosso Instagram e Facebook , são tantas histórias pra acompanhar...

#SonairaDÁvila #Oktoberfest #Munich #Alemanha #Bavaria

25 visualizações

siga!

  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle
  • YouTube - White Circle