• Sonaira D'Ávila

Uma viagem na história em Visby

Atualizado: 5 de Out de 2019


Viajar para qualquer lugar mais de uma vez, te possibilita ir além do clássico roteiro local. Pois é o que tenho feito já que uma irmã está morando em Estocolmo, a cada visita vou explorando mais este canto do mundo. Um dos passeios mais deliciosos de verão é sair para a ilha de Gotland, no Mar Báltico e descobrir por que este é um dos destinos mais apreciados por quem é local- os suecos. Partimos rumo a uma viagem na história em Visby. A pequena e antiga cidade parece ser bastante desconhecida por nós, então sejam bem-vindo à cidade hanseática de Visby, a cidade medieval mais bem preservada do norte da Europa, incluindo a muralha da cidade, ruas medievais, armazéns e ruínas de igrejas.

Um lugar para ir

Chegar na ilha é bem fácil, ela é acessível por balsa em três horas de travessias de ferry de de Nynashamn, a sul de Estocolmo até Visby, ou pelo ar em 30 minutos. Compramos antes os bilhetes para ir de ferry, pois costuma lotar no verão.

Os primeiros assentamentos desta baia de porto seguro em Visby, datam da Era Viking. A cidade foi um importante centro comercial antes até da Liga Hanseática.

A cidade é viva, não é um museu, muitas ruínas foram restauradas, são residências e todos podem chegar à sua casa de carro. Todas as ruas tem o calçamento original.

Pequenas casas de madeira antigas do século XVIII pintadas de verde, vermelho ou preto, interligadas por vielas estreitas e de paralelepípedos , se misturam com casas de pedra.

E muitos monumentos históricos. Parecia bem convidativo o que nos esperava.

E não nos desapontou: Visby é um exemplo único de uma cidade comercial com muros medievais do norte da Europa, com um plano urbano medieval praticamente intacto, sendo uma rota histórica de alta qualidade.

Voltando no tempo

Alguns fatos rapidinhos: Um importante centro de comércio no Mar Báltico; Uma guerra civil deu origem a muralha, a ilha e a cidade foram invadida em 1361 pela Dinamarca e transformou Gotland uma colônia dinamarquesa até ser re-anexada pela Suécia em 1645; durante este tempo se tornou um paraíso de piratas. Ai veio a Peste Negra, guerras e pirataria no século XV. A cidade foi as poucos sendo abandonada...

“Cidade das rosas e ruinas” foi o nome que alguns escritores e pintores deram a cidade esquecida quando a descobriram no final do século XVIII.

Fiquei tão encantada com esta viagem que achei um desperdício ficar só num post, ainda tenho inúmeras fotos e alguns vídeos pra dividir com vocês.

St Nicolaus kyrka

Pois é neste pedaço modesto que se encontram o maior número de ruínas preservadas da Europa, Visby medieval tem mais igrejas do que qualquer outra cidade na Suécia: 15 dentro das muralhas e duas no exterior. Estes monumentos tem características românicas e góticas, e na maior parte foram construídos nos séculos XII e XIII.

Muitas casas tem idades e estilos de diversas épocas. Um show de contrastes com uma história e cultura únicas, onde as praças de paralelepípedos abertas e as vielas de Visby são um convite à contemplação desta história.

Então depois chegarmos e de nós alojarmos, saímos para uma volta básica e uma visita ao Museu Histórico de Gotland , chamado de "Fornsalen" ( “Salão das Antiguidades") em sueco,

É uma parada obrigatória para se entender um pouco do que significou esta ilha na rota comercial do Mar Báltico.

O Museu abriga muitos artefatos, pedras pictóricas encontradas em nenhum outro lugar do mundo, tesouros da era Viking, esculturas de igrejas, armaduras medievais da invasão dinamarquesa em 1361 e uma boa mostra da mitologia nórdica pode ser vista nos mais dos 31.000 restos e objetos recuperados de toda a ilha, indicando que pessoas viveram em Gotland há 9.000 anos.

De cara, quando entramos, nos deparamos com as pedras do período pré- Viking do século V ao VII.

E o maior espólio do mundo de tesouros de prata preservados. São objetos de vários períodos de tempo desde a idade da Pedra passando pela era Viking e os tempos medievais.

Vivendo a história pela cidade

A melhor forma de conhecer um cidade é acordar cedo e sair por ai se deixando encantar por ela. Visby é cercada por uma muralha medieval de 3,5 km de comprimento e 12 metros de altura em alguns pontos chamada Ringmuren (o Ring Wall).

A muralha que foi construída no século XIII tem três entradas principais, e umas 30 torres.

Dentro da muralha, fica a cidade velha com cerca de 200 edifícios de pedra bem conservados, alguns com fachadas mais pro gótico, com empenas pontiagudas.

É um cidade bem sinalizada com informações sobre importantes pontos e ruínas.

A Catedral de Santa Maria que se localizada no meio da cidade, e suas torres são especialmente visíveis até o parque e sobrevive intacta e ainda em uso.

Ruínas/ kyrkoruiner :

Você praticamente esbarra nas ruínas quando vira a cada esquina, aqui estão as maiores:

1-St Karins kyrka, a igreja de Santa Catarina, fundada pelos franciscanos em 1233 foi o primeiro mosteiro franciscano fundada na Suécia. As ruínas, que remonta a 1233 dominam a praça central de Stora Torget .

2-St Nicolaus kyrka, construída por monges dominicanos em 1230.

3-Helgeand do século XIII dedicada ao Espírito Santo .

4-Sankt Clemens é uma das igrejas mais antigas de Visby. Provavelmente as partes mais antigas são de 1060.

5-Sankt Drotten dedicada à Trindade mas apelidada Drotten- uma palavra nórdica antiga com o significado de Senhor ou Rei, construída durante os séculos XIII e XIV.

6-Sankt Lars, igreja de São Lourenço construida século XIII foi inspirada na arquitetura eclesiástica alemã.

7- Sankt Hans och Sankt Pers juntas eram as maiores igrejas de Visby e as mais antigas de 1060.

É possível alugar um bicicleta ou simplesmente sair andando pela Strandpromenaden, uma via de caminhada e ciclovia de 5 km que segue caladinha ao mar e passa pela praias, muralha, torres, ruínas… Delicioso e até me aventurei num mergulho por ali.

E é claro assisti ao pôr do sol no mar.

Medeltidsveckan

Uma vez por ano durante uma semana, Visby viaja de volta no tempo para a Idade Média literalmente no Medeltidsveckan. Fogos de artifício, teatro, dança, música, torneios. Experimentei a vida de um tempo perdido em Agosto na ilha sueca de Gotland. Fiquei tão fascinada com esta experiência imersiva na Idade Média...

E com certeza, vou voltar a Gotland e ao Medieval Week para mais uma viagem na história em Visby.…

Por hora sigo de férias rumo a outra pequena grande cidade​- Ulm, na divisa da Bavaria e de Baden-Württemberg, na Alemanha.

Quer saber mais histórias deste mundão? Então siga a gente no Facebook, Instagram e Youtube. Acesse e se divirta com as nossas histórias.

#Suécia #Visby #Gotland #Ruinas #SonairaDÁvila #dicas

0 visualização

siga!

  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle
  • YouTube - White Circle