• Mônica Marks

Para viver no exterior, há regras


Hoje, vivo em Basel na Suíça. Mas, nesses meus 35 anos indo e vindo do solo brasileiro - entre minha carreira de modelo e por conta do casamento - ouço muita coisa a respeito das questões positivas do estrangeiro e das questões negativas do Brasil.


Coisas do tipo: “país de primeiro mundo” ou “o sonho de todo brasileiro”. Porém, o que quase ninguém pensa é que viver nos ditos países de primeiro mundo pressupõe limites. As pessoas que reclamam do Brasil sempre se rebelam quando se deparam com as regras de cada país. Para viver no exterior, há regras a serem seguidas.


Por aqui na Suíça, as leis mais complexas são escolhidas pelo voto do povo em um referendum. Já as leis comuns urbanas são estabelecidas pelo governo a fim de manter a boa convivência social. Não são sequer discutidas ou justificadas. Simplesmente, se tornam leis.


Cidadãos quando apanhados em situações que não respeitam essas leis são devidamente multados. Por exemplo, se um cidadão estacionou o carro com as duas rodas na linha azul (veja na foto abaixo), se está sem o cartão de estacionamento ou se tem um cartão expirado é multado na certa.. Acredito que a multa por esse estacionamento irregular deva ser hoje de 100 francos suíços, mais ou menos, R$ 600,00.


O lixo, por exemplo, tem suas regras específicas. Já andei falando em um post do Instagram como é o processo de recolha e de devolução das árvores de Natal. Ninguém aqui compra. Ninguém larga a árvore em qualquer lugar. Tudo é regulamentado para não aumentar resíduos indesejados pela cidade.

Os saquinhos azuis da foto acima são sacos de lixo. Na Suíça, ele não é recolhido se não estiver nesse tipo de saco. A cor desse saquinho varia de cidade para cidade. Aqui, em Basel, o saquinho é azul.


Os saquinhos para colocar o lixo existem em diferentes tamanhos. A gente precisa pedir à pessoa do caixa no supermercado, pois não se pode pegá-los diretamente nas prateleiras. Para acomodar o lixo é preciso atenção. Os saquinhos precisam estar fechados e não rasgados. Se, por acaso, o saquinho não estiver bem fechado, a empresa não recolhe. É uma boa: não temos cheiro de lixo nas ruas.

Outro exemplo. Na rua de pedestres não se pode pedalar. Se um ciclista for apanhado no flagra, é melhor se resignar e esperar pela multa. Não há argumento que convença o guarda. O cara da foto acima não convenceu mesmo.


Afinal de contas, o ciclista sabe que não pode pedalar na calçada. Além disso, se a multa não for paga dentro do prazo, ela aumenta e um novo prazo é proposto. A multa vai aumentando de acordo com o prazo que não foi respeitado. Não tem jeito.


A multa deve estar em torno de 40 francos suíços, algo como R$ 240,00. Já fui multada duas vezes porque estava 1km acima dos 10% da velocidade permitida. A multa é diferente. Não me lembro quanto paguei.


Morar em país de primeiro mundo, como se diz, é se comportar de acordo com as regras e leis locais. Se quiser dar um “jeitinho”, a dor vai ser no bolso.


Por isso sempre digo para quem quer mudar de país que essa decisão não é só de prazeres, alegrias ou oportunidade para comprar aquele xampu ou creme que não existe no Brasil. Há obrigações e, em geral, diferentes daquelas às quais você se habitou.


Se comportar da forma requisitada e se adaptar é um 'must' e é inegociável. Faz bem e ajuda na integração.


E, obrigada, por nos seguir no Instagram e também no Facebook.

17 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo