• Do Rio pra cá

Portugal surgiu na minha vida por acaso


Torre de Belém, Lisboa
Jaque com a famosa Torre de Belém ao fundo. (foto: Acervo Pessoal)

Nesse post, mais uma das nossas convidadas, Jaque, conta como Portugal surgiu na vida por acaso. Ela é uma típica carioca que vive em terras portuguesas desde 2019. Morar fora nunca foi o seu principal desejo, mas depois de passar por esta experiência, imagina que já deveria ter feito isto há muito tempo. Veja a seguir o que ela tem pra dizer sobre a sua trajetória.


Vejo que muitos brasileiros planejam e sonham em morar fora. Construir uma vida longe das nossas fronteiras parece algo tão desafiador e, ao mesmo tempo, tão excitante, não é mesmo?

Contudo, comigo foi bem diferente. Portugal surgiu por acaso! Vou contar pra vocês como foi.

Cidade do Porto, Portugal
Os tênis All Star e a Torre dos Clérigos no Porto, Portugal (foto: acervo pessoal)

Em 20 de março de 2019, chegava ao Porto. Desembarcava de um avião curiosa para ouvir o sotaque bacana e para experimentar o famoso pastel de Belém. Esse desejo, no entanto, só fui realizar semanas depois. Foi quando descobri que o legítimo pastel só era vendido em Lisboa.


A belíssima cidade do Porto me recebeu de uma maneira bem fria. Dois casacos não conseguirem dar conta da sensação gélida. Deixando de lado o frio, que todo carioca sentiria naquela época do ano, comecei a perceber que a minha estadia poderia ser mais longa do que era esperado.


Até então turista, andei horas vislumbrada pelas belas ladeiras e vielas portuenses. Quanta beleza espalhada em cada cantinho. Cada detalhe daquela cidade conseguiu me trazer uma sensação tão boa de pertencimento que parecia que já havia passado por ali em outras épocas. E, quem sabe não passei, não é mesmo? Aquele medo de estar longe de casa começou a ceder lugar à alegria de me deparar com o novo. O desejo de retornar ao Rio de Janeiro foi dando lugar à força de experimentar o diferente.


Jardim do Morro, Porto, Portugal
Por do sol no Jardim do Morro na cidade do Porto (foto: Acervo Pessoal)

Um dos lugares que melhor me recebeu foi o Jardim do Morro. Participou das muitas horas de devaneios nas quais vislumbrei um belo por do sol. Aliás, está aí uma ótima dica para os interessados em passear por aqui.


Naquele pequeno paraíso, pude pensar sobre a minha trajetória, sobre as possibilidades que tive para um futuro próximo e sobre como deixar de lado as amarras do passado. Aquela vista deslumbrante e a alegria de estar num cantinho mágico me ajudou num processo muito intenso de reconstrução.


Num desses devaneios, surgiu a ideia de pesquisar sobre a cena teatral portuguesa. Atriz de formação e paixão, percebi que seria extremamente enriquecedor me alimentar do que estava sendo feito fora do meu país, o Brasil. Como poderia perder a oportunidade de conhecer pessoas e passar por experiências nas artes cênicas do outro lado do oceano?


Meu coração se encheu de entusiasmo. E, foi então que comecei a pesquisar e a me conectar com pessoas. Num desses contatos - contactos num jeito aportuguesado da palavra - o destino me apresentou amigos atores e amigos produtores. Sim, grandes amigos, em cena e fora dela, que me receberam de braços abertos no bom e velho estilo Cristo Redentor.


Após ter passado por um teste em Coimbra, descobri que aquelas ideias que haviam surgido no Jardim do Morro, ainda lá no Porto, se concretizariam. Agora, uma nova vida além mar começaria a surgir: trabalhar com teatro em Portugal já era realidade. O Rio de Janeiro precisaria ficar guardado no meu coração por alguns anos num lugar chamado saudade.


Pastel de Belém, Lisboa, Portugal
O maravilhoso pastel de Belém na famosa pastelaria no bairro de mesmo nome. (foto: Acervo Pessoal)

Claro, que não pude deixar de comemorar. Fui finalmente experimentar a mais popular especialidade da doçaria portuguesa. Como é gostoso o pastel de Belém, lá da Rua de Belém nº 84 em Lisboa.


E desde então foram muitas experiências incríveis Já estive em cena em seis espetáculos diferentes apresentados em mais de 200 lugares. Com o @teatroasolta continuo por aqui levando a minha comédia de um jeitinho bem carioca com todos os X’s e Dji’s característicos do meu sotaque carioca. De escolas a salas de espetáculos, de norte a sul, fui para a estrada carregando um grande orgulho: o de levar um pouquinho do meu Brasil para cada canto português.

Portugal antes da pandemia
Jaque em uma das muitas apresentações teatrais em Portugal antes de pandemia. ( foto: Acervo Pessoal)

Portugal, um país que era tão desconhecido e misterioso, pode ter surgido de uma forma muito inusitada, mas ficará marcado na minha trajetória de uma maneira muito intensa. Esta terra foi capaz de me mostrar a importância da busca pela reconexão. Além disso, mostrou o real significado da palavra coragem e de me fazer perceber que o medo do novo nunca pode ser maior do que o desejo de batalhar pelo o que acreditamos.


Se quiser saber mais histórias sobre o nosso time pelo mundo afora, não deixe de seguir o nosso Instagram e o Facebook.

188 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo