• Sonaira D'Ávila

10 coisas que mudaram quando me mudei pra Alemanha

Atualizado: 5 de Out de 2019


Muita coisa muda quando se é uma mulher independente e precisa, como uma criança, aprender diversas coisas novamente, inclusive falar! Há aproximadamente 7 anos, eu estava colocando os pés e o coração num mundo completamente novo. Morar na Alemanha nunca foi um sonho, mas hoje é uma realidade.

Quando começou a minha migração para a Alemanha em 2011, três anos após ter casado com um alemão, não imaginei que a partir daquele momento eu me tornaria uma “gringa" como ele. Sabe aquele ser estrangeiro, que vive entre duas culturas, que tem um comportamento engraçado, fala o seu idioma com “sotaque” (e muitos erros nada bonitinho)?

Pois é, devagar fui percebendo que nunca seria uma nativa, nem retornando ao meu país, mesmo de visita. Com o tempo a gente vai aprender sobre a outra cultura, viver os outros costumes e se alfabetizar de novo em outra língua. Seus olhos vão ver tudo em volta e jamais vão enxergar como “era” antes .

É, é difícil a arte de mudar sem questionar as suas raízes, crenças e valores! Depois que eu descobri o que numa sociedade funciona e na outra não, inevitavelmente comecei a comparar as bases das duas e VER as diferenças.

Mas o que mudou pra mim de verdade? Vamos a listinha das 10 coisas que mudaram quando vim pra cá, morar na Alemanha.

1- Na Alemanha as residências tem outras regras

Marido já tinha um apartamento montado na Alemanha quando decidimos seguir a favor do vento e viver pelas bandas de cá.

Logo de cara percebi que os prédios são baixinhos na maioriada das cidades. Com algumas poucas exceções, o gabarito médio é de 4/5 andares sem elevador e porteiro.

Os prédios tem um interfone com os sobrenomes dos moradores em vez de número de apartamento. E a sua correspondência é entregue a caixa de correio com o seu sobrenome. Ou seja, NÃO existe número do apartamento aqui. Foi uma confusão com o meu sobrenome no começo, até eu mudar no correio e prefeitura e tudo ficar igual.

Por aqui, na maioria das residências, os sapatos ficam na entrada do lado de fora. E todo mundo tira quando entra em casa. Ou ficam do lado de dentro, junto ao cabideiro com casacos no hall de entrada.

Os apartamentos e casas não tem um banheiro privado (tipo suíte) e área de serviço com tanque. Nas minhas primeiras semanas descobri que mais cedo ou mais tarde chegaria o dia de encarar a faxina. E perceber que somos muito mimados no Brasil!

Todo mundo sabe que empregada doméstica ou faxineira é um artigo de luxo pelo mundo a fora. E aqui na Alemanha isso não é uma exceção.

A pessoa aqui resolve lavar o banheiro, e como uma boa brasileira, decide “botar ele de molho” (deixar por um tempo algum produto bem forte que acha no armário, mas você não sabe bem pra que serve). Bota uma música pra animar a função e descobre, quando começa a jogar água, que NÃO tem ralo no banheiro. Dai rapidamente a água se espalha pelo piso de madeira da sala e você se desespera procurando vassoura, rodinho ou pano de chão.

E NÃO encontra! Só o aspirador de pó!

Fui salva pelo estoque de toalhas da casa. No dia seguinte sai a caça de vassoura, rodinho e pano de chão.

Passando o susto inicial, comecei a “tomar pé da situação”.

Descobri que água, por exemplo, se bebe da torneira sem filtro, e tem várias bicas e fontes potáveis pelos caminhos- só você levar sua garrafinha e ir enchendo. A água da Alemanha e especialmente da Bavaria é uma das mais limpas e potáveis do mundo! E eles se orgulham disso.

As ruas são limpas 90% do tempo. Ninguém joga lixo nelas e você difilcilmente vai tropeçar num buraco ou calçada irregular.

Coisas como Poluição visual, sonora, lixo na rua! Não tem!

E jogar tudo num lixo só? É uma das questões vitais por aqui, as famílias ensinam as crianças desde pequenas a lavar e separar o lixo de inúmeras formas, tem diversos tipos de descarte até pra roupas e sapatos que não se quer mais.

Ainda dá pra reciclar em mercados alguns vidros e plásticos que tem o selo de Pfand (reciclável e reembolsavel) , eles valem dinheiro que você usa abatendo do valor das suas compras.

Reciclar é um way of life aqui. A coleta é seletiva em diversos pontos da cidade e no seu prédio.

E grades nos prédios, casas, parques? Também não tem. Muros, portões e cercas só se forem baixinhas ou vivas.

2- Uma forma diferente de comprar

Veja a cena acima: No meio de uma estrada, tem um campo de flores. e do lado um pilha de diferentes tipos de abóboras. Você pega a faca que está num poste improvisado, corta as flores que quer, escolhe as abóboras e bota o dinheiro numa caixa no mesmo poste e vai embora. Isso se chama Selbstbedienung ( Self-service). Você pega o que quer e paga por isso.

O mesmo acontece com jornais em algumas cidades, você escolhe e pega e paga.

... NÃO EXISTE NINGUÉM por perto. Só a sua consciência.

Como Domingo é “Ruhetag” nada abre ( só cafés e restaurantes), pois é dia de ficar com a família, de descansar.

Então é só se organizar de segunda a sexta que o comércio funciona até às 18h e nas cidades maiores até 20h ( Com exeção da rodoviária e aeroporto que tem sempre um mercado aberto).

Alguns param para almoço e tiram férias, avisando aos clientes! Sábado funciona até 13h e nas cidades maiores até 20h.

Ninguém vai empacotar para você e pode esquecer os saquinhos de plásticos, ok? E vai preparando a sua sacola ou caixa de papelão para quando for ao mercado já que não existe entrega a domicílio. Se você não levar a sua sacola vai ter de comprar uma e colocar as suas compras dentro (ou levar tudo na mão). Você vai levar no máximo 50 segundos para passar suas comparas na caixa.

Pense em algo que quer comprar? Pois tem centenas de opções para todos os gostos e preços...o difícil é escolher.

3- O “jeitinho” brasileiro é um "no no" na Alemanha

A principal questão aqui é que você faz parte do sistema alemão que convoca as pessoas a contribuem para o bem comum, mesmo quando não tem ninguém olhando. Os espertos e os infratores são fortemente recriminados nesta cultura.

Uma situação clássica que nos difere: nós, brasileiros, somos conhecidos por não respeitar regras e sinais. Somos treinados para não parar neles nunca quando estamos dirigindo. E sempre atravessamos andando ou correndo por onde queremos fora da faixa ou no meio dos carros. Esperar um sinal abrir para você passar, mesmo que não tenha NINGUÉM na rua, é uma atitude no mínimo estranha para a maioria dos brasileiros.

Na Alemanha mesmo tarde da noite e sem carros à vista, se você atravessar a rua no sinal vermelho, poderá sentir a reprovação dos alemães, e até ouvir um "Pense nas crianças, dê o exemplo!".

4- Aqui você tem que aprender a confiar

Ainda paro para conferir e realmente todos esperam no sinal para atravessar. Os carros param quando você pisa na faixa, pode confiar. Incrível, mas aqui você pode confiar. Dediquei um texto só sobre isso.

Uma das coisas que mais me encanta (a ponto de me desligar demais) é o fato de você normalmente poder andar despreocupado e se por ventura esquecer a sua bolsa num banco de praça, restaurante ou trem, como eu já fiz, ou perder o celular, pode procurar. Ainda é comum encontrar no mesmo lugar ou na delegacia mais próxima. E com aviso de quem achou fixado num poste como ai em cima: "Iphone preto encontrado, ele está na degacia de polícia." Mas não convém abusar da sorte!

As crianças e jovens andam sozinhos a partir dos 7 anos. São treinados a serem independentes na escola pela polícia com prova prática de como atravessar a rua, pegar um ônibus, comprar bilhetes e ler os sinais de trânsito.

Vão e voltam sozinhos da escola, pegam o trem e o ônibus de um país ou cidade para outra.

SEM ADULTOS.

A partir dos 10 anos são fazem provas especificas na polícia de regras de como andar de bicicleta nas estradas e após passarem nas provas práticas com um policial junto, recebem a primeira carteira de motorista.

5- Na Alemanha é fácil se deslocar

A norma é a mesma para todos transportes urbanos, NÃO existe cobrador nos ônibus ou trens em muitas cidades. Nas cidades pequenas você pode comprar o ticket direto com o motorista do ônibus e na maioria das cidades você compra os bilhetes numa caixa automática e valida numa máquina.

Lembra do Selbstbedienung? Não tem roleta, é tudo aberto.

Eles confiam que você é independente e responsável.

"Ai meu Deus, “esqueci” de pagar a tarifa do metrô"- E se você for pego SEM sua Farhrkarte (bilhete) pelos Kontrolleur (controladores)? Vai pagar uma multa de 60 EUROS, além de perceber os olhares das pessoas em volta te fuzilando, o que será o suficiente para sentir uma vergonha e fará você jamais esquecer de novo!

As Autobahns são famosas por não terem limites de velocidades. Ou seja, andar a 220 Km por hora nas estradas faz parte da identidade nacional. Impossível não reparar nas as ruas, estradas e autopistas! NÃO tem buracos. A qualidade do asfalto é a melhor do mundo!

Bicicleta é quase uma religião, TODO mundo tem! Então tem muitas ciclovias, estradas para pedestres e tudo sinalizado!

6- No país tudo se recicla ou se reaproveita

O que não se quer mais, se vende, doa ou troca! O Flohmarkt( mercado das pulga) é uma mania nacional contagiante, e um dos meus “esportes” preferidos – caçar “tesouros”. É uma Feira ao ar livre organizados por temas, bairros e regiões pelas prefeituras.

E é possível ter acesso aos calendários partir do início da Primavera. Os Flohmarkts também são uma atividade organizada nos bairros e os moradores descem das suas casas com tudo aquilo que querem se desfazer e colocam a venda na porta de casa. Após o longo período de frio, este é um momento de confraternização com os vizinhos, amigos ao ar livre e aprender a desapegar. Tem um post sobre isso aqui e um vídeo ai em baixo . E vai ser bem fácil entender este meu novo "vício".

Além disso, existem diversos bazares de caridade e second hands por toda parte. Eu tenho minha lista bem secreta!

7- Aqui o preço da beleza é outro

Se você como eu, ganha em reais e gasta em euros, cabelereiro, depilação, manicure é uma loucura de caro em comparação aos preços no Brasil. Para quem está acostumada regurlamente ir a um salão no Brasil, primeiro irá estranhar que cada serviço é feito em um outro lugar. Os alemães são os "reis"da especialização. O cabelereiro só cuida de cabelo, para fazer as unhas só num estúdio de unhas, pés em um outro espaço e depilação em um centro especializado.

Não era comum as mulheres e homens se depilarem e isso é bem recente na cultura alemã. A depilação que faz sucesso entre as mulheres por aqui é inspirada no Brasil -"Brazilian Waxing", mas não existem centro de depilação em muitas cidades da Alemanha ainda.

Por isso, no dia a dia, a maioria das mulheres faz tudo elas mesmas. Deixando para gastar uns 170 Euros numa depilação completa, 35 Euros para lavar e aparar os cabelos ou 22 Euros numa mão [sem tirar a cutícula] para alguma data especial. Em geral os alemães valorizam ser natural e a liberdade.

Muitas mulheres não se depilam ou pintam os cabelos, o que me incentivou a assumir os meus cabelos brancos. Isso aqui é sinal de que a mulher tem autoestima e é muito valorizado pelos homens.

Ou também que ela não está disposta a gastar no mínimo 200 Euros por mês em algo que ela pode fazer.

8- Na Alemanha é tudo muito natural

Eu sou uma pessoa que adora se sentir livre. Foi fácil me tornar fã de algumas coisas depois que descobri as áreas de Freikörperkultur ou FKK, uma expressão em alemão que significa cultura do corpo livre ou em bom português, nudismo.

A experiência de liberdade e nudez sem uma relação direta com a sexualidade é uma conquista da Alemanha decorrente de décadas de opressão e é parte importante da identidade alemã, eu acho.

Pode ser difícil para os brasileiros se habituarem e se ajustarem a esta cultura sem se sentir estranho.

Já pensou em se bronzear sem marquinhas de biquíni e sem se preocupar com a depilação? Sei que vai ter uma "galera" que vai torcer o nariz, mas é Liberdade TOTAL!

A Bavaria em especial se orgulha pela energia limpa e suas cidades sem agrotóxicos. Além dos inúmeros campos, é comum se ver as "plantações de energia solar" e os prédios com tetos solar ( imagina isso num país com muito menos sol que o Brasil???)

São inúmeras as atividades naturais como paseeios ou colheitas em campos sem agrotóxicos. E são atividades pra família toda . Um dos meus programas favoritos na primavera é colher morangos.

9- Aqui o lema é eficiência sem desperdício

Tempo e pausa são SAGRADOS aqui. Pense que a Alemanha é um país acostumado com meses de frio, o que muda drasticamente a nossa noção de tempo.

A famosa eficiência alemã funciona baseada nisso, no tripé, estudar para fazer o melhor, organizar antes de fazer e executar com qualidade. Existem especialistas para tudo e cada um no seu "quadrado".

O “deixa comigo” do brasileiro que resolve tudo, não funciona na Alemanha.

O “tempo todo nosso”, aquela mania de brasileiro chegar atrasado, na Alemanha é falta de educação e desrespeito com o tempo do outro.

Normalmente a desculpa de que o ônibus atrasou não cola aqui, já que os ônibus, trens, metrôs, funcionam sincronizados e costumam ser pontuais com tempo exato para fazer as conexões (salvo incidentes sérios). E tudo pode ser checado nos aplicativos de cada cidade também.

Aceitar que faz parte do pacote de “ser brasileiro” é uma escolha sua. Mas é muito feio aqui.

10- Na Alemanha existe a noção do coletivo

O que aprendi aqui é que a cultura alemã é fundada nas atitudes conscientes da sociedade em relação ao papel de cada um. Ela visa o bem-estar que deve ser coletivo e não apenas individual.

Você vai perceber que o entorno das cidades é repleto de áreas verdes, parques, florestas, trilhas, piscinas públicas, lagos sem sujeira ou grades, pensando no tempo livre e lazer de todos. Todos deixam os seus pertencem ali e vão passear. Ninguém mexe.

Uma das coisas que mais acho curiosa em diversas cidades da Alemanha, são os espaços que existem a mais de 200 anos usados para cultivar flores, frutas e hortaliças.

Não se pode morar nos lotes, apenas passar o dia. São os Schrebergärten , pequenos lotes públicos arrendados por gerações.

Existem aproximadamente 4 milhões desses jardins aqui.

Sim, uma coisa agora passará a ser certa nesta sua vida nova de estrangeiro: quando estiver no Brasil, vai contar as horas para voltar para a Alemanha, e quando estiver na Alemanha, sentirá falta do Brasil.

Mas, em cada ida e vinda Do Rio pra cá e daqui pro Rio, vou aprendendo, me adaptando e transformando o meu entorno com este “quê” especial que trazo na mala, misturado às lembranças dos amigos e parentes.

Morar na Alemanha é um eterno aprendizado. Citei 10 coisas que mudaram quando me mudei pra Alemanha, mas tem um mundo de coisas que ainda estou descobrindo.

Um prost as mudanças!!!

Quer saber mais dicas sobre morar fora do Brasil? Então siga a gente no Facebook, Instagram e Youtube. Acesse e se divirta com as nossas histórias.

#MorarFora #BrasileirasnaAlemanha #Alemanha #SonairaDÁvila

86 visualizações

siga!

  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle
  • YouTube - White Circle