• Guiga Soares

Bar de vinhos em Grosskarlbach, Alemanha


O programa pode ser manjado: muita gente já fez isso. Eu, não. Conto aqui pra vocês como foi a minha agradável tarde em um bar de vinhos em Grosskarlbach no sudoeste da Alemanha.


Pra começar, acho que devo explicar um pouquinho sobre a região. Grosskarlbach é um pequeno município do distrito de Bad Dürkheim no estado da Renânia-Palatinado. É um dos 16 que formam a Alemanha. Tem mais ou menos 1200 habitantes e com a principal atividade econômica voltada para a vinicultura.

Esse pedaço do território alemão é muito conhecido pela produção de uma casta específica de uvas brancas e rosadas, a Riesling. A Alemanha é o maior produtor de vinhos desse tipo de uva. Concorre com os vinhos da mesma uva produzidos na Alsácia (França) e na Áustria. Passar a tarde ou mesmo o dia em um desses bares das próprias vinícolas é um programa típico.


Especialistas dizem que os primeiros registros da existência da Riesling datam do século 15. Afirmam, também, que o cultivo da casta dessa uva começou no vale do rio Reno e do rio Mosel. Enfim, são séculos e séculos de uma produção intensa e muito conhecimento sobre o manejo dessa casta.


PELAS ESTRADAS ENTRE OS VINHEDOS


Outro detalhe que não posso deixar de comentar foi a nossa viagem até Grosskarlbach. Saímos de Mannheim, em outro estado, o de Baden Würtemberg. De carro, pegamos primeiro uma das maravilhosas e seguras estradas alemãs, as autobahns. Foram 25 km no total. É bem verdade que como já contei em um post no Instagram já havia ido a Bad Dürkheim de tram (tipo o VLT carioca). Se quiser checar, o link está aí. Mas, pra conhecer a área das vinícolas é preciso estar de carro.


Depois de sair da estrada, entramos no entroncamento para Bad Dürkheim e, em seguida, tomamos as estradas menores que passam por inúmeros vinhedos. Tem plantação de uva nos dois lados da estrada. É um cenário de filme.


Nessa época do ano, o outono, as plantações já misturam os vários tons de amarelo e verde bem clarinho. Os pés de uva são colocados de uma forma super organizada: parece que as plantações foram desenhadas no solo de tão arrumadinhas.


É um show só de olhar. Até diminuímos a velocidade do carro para apreciar a vista. Parece que a gente nunca iria achar o bar de tão lindo que era o passeio nessas estradinhas mais estreitas que subiam, desciam e descortinavam a beleza da paisagem.


VINHOS AO CAIR DA TARDE

Enfim, chegamos. O Weinbar (bar de vinho) Dietrich fica bem na frente do imenso vinhedo de mesmo nome. Tem um clima moderno que mistura a praticidade das linhas secas com o charme muito chique sem frescura da arquitetura contemporânea alemã. Quem quiser pode ficar do lado de fora do bar.

Nós decidimos ficar na parte interna. Afinal, já fazia frio mesmo com o sol dourado espetacular do lado de fora. Tem muita gente que vai até lá somente para curtir esse sol de fim de outono saboreando vinhos. Afinal, o calorzinho está indo embora e o inverno chega daqui a pouco. O bar, aliás, fecha em novembro e só reabre em março ou abril.


Pra acompanhar os vinhos branco e rosé, pedimos flammkuchen, uma espécie de pizza alemã com uma massa bem fina característica da região. O cardápio é pequeno, mas oferece aquilo que é necessário para curtir a atmosfera. A oferta de vinhos é bem grande, todos produzidos na vinícola.

Antes de ir embora, caminhei em meio aos vinhedos que estavam mais perto dos fundos do bar. O friozinho já ia aumentando. Já eram quase 7 horas da noite e o sol ia sumindo. Tudo muito espetacular. Amei a minha tarde.


Com certeza, essa foi primeira vez. Mas, volto. Espero que as minhas fotos mostrem a beleza desse bar de vinhos em Grosskarlbach, Alemanha. Foi uma tarde maravilhosa.


Continue a nos seguir no Instagram e no Facebook.

8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo