• Luciana Cherques

Nova Iorque com vacina desperta de um longo inverno


Estátua da Liberdade, Nova Iorque, Pixabay
Depois de um longo inverno, Nova Iorque desperta com a vacina. ( Foto: Pixabay)

Parece que foi ontem, mas já faz um ano que Nova Iorque fechou por causa da pandemia. Eu, Luciana Cherques, como todos, nos encerramos amedrontados, sem saber exatamente como seriam os próximos meses e, quem sabe, os anos.


Como a “Carolina” da canção Chico Buarque, ficamos vendo “o tempo passar pela janela”. Com a chegada do verão de 2020, lotamos os parques locais, a maioria mascarados mantendo a distância para evitar contágio.


No outono, testemunhamos uma batalha eleitoral dura e passional entre Republicanos (Donald Trump) e Democratas (Joe Biden): quase todos tínhamos um lado. A cidade de Nova Iorque é um reduto democrata. Quando Joe Biden foi declarado vencedor, fomos às ruas pra comemorar. No link, acima conto como vim parar aqui.


Houve uma sensação de alívio na cidade. Ouviam-se buzinas, música e gritos. Era como se todos nós quiséssemos liberar, de uma só vez, a energia que estava estancada por quase um ano.


Pouco tempo depois, em 6 de janeiro de 2021, vimos, pela TV, chocados, a invasão do Capitólio, o Congresso Americano na capital Washington. Acho que grande parte da sociedade jamais pensou que assistiria uma cena tão surreal. Segundo os meios de comunicação, apenas nas "repúblicas de banana'' acontecem esse tipo de manifestações. Ficamos estarrecidos!


A VACINA CHEGOU

Vida que segue, depressões que vem e vão, inverno que passa, primavera à vista, a vida, a cidade e a esperança mais uma vez se renovam. A primavera chegou. TEMOS VACINA! Vinte e cinco por cento da população nova iorquina já foi vacinada, inclusive eu.


Já recebi a primeira dose da vacina da farmacêutica Moderna. Como trabalhei como babá por um período - sim, aqui se faz de tudo para sobreviver - sou elegível. Em abril, tomarei a segunda dose e estarei cem por cento imunizada. Vamos torcendo e orando para que as vacinas sejam eficazes contra as novas cepas do vírus.

Centra Park, Nova Iorque, Pixabay
Central Park no dia de sol. (Foto: Pixabay)

As escolas secundárias reabriram esta semana, os restaurantes estão trabalhando com cinquenta por cento da capacidade. Vamos nos preparar. Já que segundo a previsão do novo presidente, possamos celebrar o feriado da independência, no dia 4 de Julho, em pleno verão, da maneira mais americana possível.

Fazendo piquenique regado a hot dogs e hambúrgueres com os amigos e muita cerveja e caipirinha, já que ninguém é de ferro!


Não deixem de seguir o nosso time também no Instagram e no Facebook.


153 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo