top of page
  • Guiga Soares

O dia de Reis

Atualizado: 6 de jan.


Entramos em 2023. Depois das festas de Réveillon ainda há uma data importante para comemorar no 6 de janeiro, o dia de Reis. Segundo a tradição cristã católica, é quando presentes também devem ser ofertados. No dia seguinte, é hora de desmontar as árvores de Natal. Com essa celebração, chega ao fim o ciclo natalino.


Para a igreja cristã ortodoxa, o dia 6 de janeiro é a véspera do Natal que é comemorado no dia 7. Essa diferença se dá por conta dos calendários. Nessa data, também se celebra do dia do Astrólogo.


Na Bíblia, a referência sobre os 3 reis magos está no evangelho de São Mateus. A data deve ter se passado a ser comemorada somente na Idade Média de acordo com especialistas.

E, como chegamos ao século 21 com essa tradição ainda tão presente no nosso calendário? Contam os livros, que quando Jesus Cristo nasceu, uma estrela de muito brilho e beleza surgiu nos céus de algum lugar do Oriente. Alguns estudiosos dizem que foi uma das passagens do cometa Halley pela Terra - ele se torna visível a cada 71/76 anos. Não há confirmação científica sobre esse fato.


A estrela brilhante chamou a atenção de 3 homens sábios, Melchior ou Belchior, Baltazar e Gaspar. Eles resolveram segui-la em busca daquele que eles imaginavam ser o salvador, o rei dos Judeus, o Messias.


O relato de São Beda, o Venerável – monge inglês falecido em 735 d.C. – fala sobre a origem deles. Melchior seria da Caldeia – hoje, parte da Síria, Iraque e Turquia -, Baltazar de alguma região próxima ao Mar Cáspio e Gaspar de algum lugar no entorno do Golfo Pérsico.


Cada um deles levou um presente diferente para o recém-nascido: ouro, incenso e mirra que significam, respectivamente, a realeza, a divindade e a imortalidade. Após a visita, os 3 Reis Magos foram avisados em sonho que o governante de Israel à época, Herodes, queria matar o menino. Assim, voltaram para suas respectivas regiões por outros caminhos para despistar os soldados.


Ao longo dos anos, outras formas de celebração surgiram para o dia de Reis. Um rito pagão deu origem à forma como os italianos celebram a data. Uma lenda romana fala de uma mulher muito velha envolta em um xale preto. Montada em uma vassoura, visita as casas na noite entre 5 e 6 de janeiro. A Befana, como é chamada, deixa doces para as crianças que se comportaram bem e carvão e alho para os “levadinhos”.


Você pode perguntar: mas, o que essa bruxa tem a ver com os 3 Reis Magos? A mesma lenda conta que uma velha lhes deu pernoite e os ajudou com informações de como chegar a Belém. Foi convidada a seguir viagem com eles, mas não aceitou. Desde então, voa pelos céus em busca dessa criança.


Em países de língua espanhola, as crianças deixam capim e água do lado de fora das casas para os camelos que transportaram os 3 Reis Magos. Em troca, no dia seguinte, encontram doces. Falando em doces, não podemos deixar de citar o tradicional “bolo de Reis”.

Nessa época do ano, padarias, confeitarias, supermercados no Brasil, Portugal, França e Espanha exibem em suas vitrines esse tipo de bolo. Em forma de coroa e com alguma diferença na composição dos ingredientes vem recheada com frutas cristalizadas e com uma fava em meio à massa doce (acima, sugestão do Talho Capixaba no Rio de Janeiro) . Às vezes, são colocadas dentro dela pequenas peças em forma de coroa ou de moeda. Quem ganha um pedaço com esse brinde, recebe sorte, prosperidade e abundância.


Espero que você curta um bolo de Reis bem gostoso. E não deixe de seguir a nossa turma no Instagram e no Facebook.


Fotos 1 e 2: Pixabay

Foto: Bolo de Reis: Guiga Soares





16 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page