• Guiga Soares

Dubrovnik na Croácia, cenário de GoT e de Star Wars

Atualizado: 14 de Nov de 2019

Outra surpresa maravilhosa na viagem à Croácia, foi Dubrovnik. As muralhas de Dubrovnik foram escolhidas, por exemplo, para cenário do filme “Guerra nas Estrelas”- Os Últimos Jedi episódio VIII lançado em 2017. As cenas da fictícia cidade de Canto Bight no desértico planeta de Cantonica foram captadas lá.


Entrada do porto da old city de Dubrovnik (Foto: Guiga Soares)

Em “Games of Thrones”, a série que em 8 temporadas criou uma legião de fãs no mundo todo e conquistou inúmeros prêmios, a cidade era a Kings’ Landing. A exibição do derradeiro episódio em maio deste ano foi acompanhada simultaneamente por nada menos que 20 milhões de pessoas somente nos Estados Unidos, número considerado gigantesco pelos especialistas. Essa última temporada de GoT foi a mais popular de todas.


Para os fãs, é bom saber que recentemente a HBO anunciou que produzir outra série baseada no mesmo livro de George R.R. Martin, "Fire & Blood" que originou GoT. Essa nova investida seria ambientada 300 anos antes e contaria a história da Casa Targaryen. Vamos ver!


O impacto desse êxito mundial mexeu com a economia e com a autoestima da população local. Gerou empresas de turismo com roteiros específicos pelos locais das muralhas de Dubrovnik que foram usados como cenários da série da tv.


Local do West Pier da temporada 3 de Games of Thrones, episódio 1 (Foto: Guiga Soares)

Esses passeios são muito concorridos e geram ansiedade nos turistas e fãs. Logo na chegada à cidade há uma lojinha e um lugar para informação. O preço pode ser acessado aí pelo link acima. Na época, pagamos 150 kuna ( a moeda croata) e mais 50 kuna pela entrada. A moeda equivale mais ou menos a 0,15% do euro.

A RUA QUE FICOU FAMOSA PORQUE UMA RAINHA CAMINHOU NUA POR ELA


A cena de GoT na qual a rainha Cersei Lannister é humilhada pelo povo ( Foto: Divulgação)

Um dos mais famosos desses locais turísticos é a escadaria que se abre para uma grande avenida que corta a cidade, a Stradum. No episódio 10 da temporada 5 de “Games of Thrones”, a rainha Cersei Lannister é castigada e obrigada a caminhar por ali nua enquanto é apedrejada, vaiada e humilhada pelo povo. Na verdade, essa rua é cheia de pequenas lojas de souvenirs e bares. Sempre tem muita gente tirando fotos enquanto os guias fazem questão de citar cada episódio, cada cena e cada acontecimento por detrás das câmeras.


As escadarias que dão acesso a rua Stradum por onde a personagem caminhou (Fotos; Guiga Soares)

Nossa guia, de longos cabelos louros, trabalhou em mais de um episódio como figurante. Achamos, a princípio, que poderia ser um truque dela. No entanto, com o passar do tempo e com as nossas insistentes perguntas, ela foi demonstrando que de fato havia feito parte da equipe da série. Chegou até a contar algumas fofocas. Essas, não sabemos se seriam verdadeiras ou não. Enfim, não importou. O que valia era o passeio mesmo. Chegamos, inclusive, a visitar uma loja que tinha o cobiçado Trono de Ferro, motivo de disputa para o controle dos Sete Reinos de Westeros. O trono estava disponível para fotos e selfies.

CIDADE VELHA DE DUBROVNIK: CENÁRIO MEDIEVAL


Arquitetura medieval: Patrimônio Mundial da Unesco (Foto: Guiga Soares)

Viajamos no outono. No dia em que fizemos o passeio, a chuva foi nossa companheira praticamente o tempo todo. No alto dos muros da old town, o vento também resolveu nos acompanhar. De repente, o sol tímido do outono saía detrás das nuvens e voltava a brilhar. Alívio total. No entanto, minutos depois, o céu ia se colorindo em mais de 10 tons de cinza. O vento e a chuva voltavam.


Numa selfie em frente a uma das escadarias de Dubrovnik antes da chuva ( Foto: selfie)

Lá de cima, a gente ficava apreciando o mar agitado, o porto e imaginando as cenas gravadas ali. E, lembrando um dos ambientes por onde voavam os dragões da personagem Daenerys Targaryen (Emilia Clarke). Apesar da situação inconveniente dos pés e roupas molhados, conhecer a King’s Landing da série debaixo da chuva e do céu cinzento teve um certo charme medieval que nos encantou.

VIAJANDO DE VODICE PARA DUBROVNIK POR UMA EXCELENTE ESTRADA


Estrada bem cuidada e com pontos interessantes ( Foto: Guiga Soares)

Nossa viagem a Dubrovnik foi curta, porém intensa. Foram 3 dias de muitas experiências diferentes e encantadoras. Chegamos à cidade no fim do dia depois de uma viagem linda de cerca de quase 4 horas pela rodovia E65 de Vodice até lá. Ótima estrada, bem asfaltada e com boa sinalização. É preciso tomar cuidado pra não se distrair com a beleza das paisagens.

Um fato interessante que vale à pena citar.


Parada em um café na beira da estrada com vista para o mar ( Foto: Guiga Soares)

Nesse trajeto, que escolhemos que margeia o Mar Adriático, passamos por alguns minutos pelo território da Bósnia-Herzegovina, um dos seis países que surgiram após o desmonte da Iugoslávia. Depois da guerra dos anos 1990, um acordo firmado permitiu uma saída do país para o mar. São 8 km e Neum, a única cidade costeira da Bósnia-Herzegovina. Sua economia é baseada nas atividades portuárias e no turismo. Passamos pelos guardas de fronteira. Mostramos nossos passaportes para sair e voltar para a Croácia. Tudo sem problema!

O CAMINHO PARA AS MURALHAS DE DUBROVNIK É LINDO


No caminho para as muralhas de Dubrovnik, belas edificações que lembram a presença italiana na região ( Foto: Guiga Soares)

Já nos dois dias que restaram nos dedicamos à cidade velha de muros erguidos no século XVI. Nosso apartamento foi escolhido por nos permitir fazer o trajeto a pé até lá. Claro que daria para pegar um ônibus ou um táxi. Mas, era bem melhor caminhar e conhecer outros lugares . O mar Adriático, à nossa direita, nos fazia companhia já na última parte mais alta do caminho até os portões medievais. Nessa área, há construções antigas e com resquícios da presença e da influência italiana, afinal esteve sob os domínios de Veneza de 1205 a 1358.

UMA DAS CIDADES DA CROÁCIA MAIS PROCURADAS PARA VISITAR

Muros da cidade velha e os barcos ( Foto: Guiga Soares)

Hoje, Dubrovnik, ou Ragusa em italiano, é um dos destinos mais concorridos da região sul da do país. É conhecida pela sua história, beleza natural e urbanística. Desde 1979, detém o título de Patrimônio Mundial pela Unesco. Tem cerca de 43 mil habitantes e uma boa rede de hotéis, restaurantes e pousadas com preços razoáveis. Os sites de reserva on line têm muitas opções. A única dica: se sua intenção prioritária é conhecer a cidade velha é melhor tentar se hospedar por perto, como fizemos. Assim, você evita o volume de gente que se concentra na subida até lá. Na maioria das vezes, por desconhecimento. Caminhando, por outro lado, é possível conhecer mais de Dubrovnik.


O Mar Adriático no caminho para a cidade velha depois de uma chuva de outono ( Foto: Guiga Soares)

No porto da cidade, chegam transatlânticos de todas as partes do mundo. Tem um aeroporto internacional de onde chegam e partem voos para quase todas as capitais europeias. Partindo do Brasil, há possibilidades de voos com escala em Roma, Frankfurt, Londres ou Paris. Pesquisei somente a partir dessas capitais. Mas, acredito que existam outras opções bem ao gosto e ao bolso de quem se decidir a fazer esse passeio. Nós seguimos de lá para Copenhagen via Oslo pela SAS: voo cheio de turistas felizes. Mas, nossos corações seguiram repletos de alegria e com aquela sensação de valeu, Croácia: voltaremos!


Leia mais sobre cidades para visitar na Croácia

Continue acompanhando nossas histórias pelo mundo lá nas nossas páginas no Facebook e no  Instagram.

21 visualizações

siga!

  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle
  • YouTube - White Circle