• naravidal

Minha primeira vez na cidade do Porto


Nas margens do Rio Douro, em Vila Nova de Gaia onde provei o maravilhoso vinho do Porto ( Foto: Guiga Soares)

Quem há de questionar que estamos dentro de tempos estranhos? Outro dia, ouvia um podcast em que um dos entrevistados dizia que estes são tempos de muita paz se comparados à Idade Média, à pré-História. A pessoa argumentava que nós humanos agíamos com mais instinto e menos ponderação. Que era a norma matar pessoas quando havia discordância e grande divergência de opinião e que uma desobediência não tinha qualquer piedade.


Não sei se há qualquer sentido no que disse o entrevistado, mas sei que me sinto inserida em tempos estranhos em que vivemos situações inéditas. Nessas horas, entendemos bastante da nossa sociedade como um grupo amplo.


O pânico de um vírus que se alastrou mundo afora em proporções catastróficas, nos fez refletir sobre a necessidade de estar dentro de casa, de não viajar, de não sair do território familiar. Exatamente tudo que mais me motiva: uma aventura além das fronteiras. De repente, tudo isso ficou perigoso não só para mim, mas para o próximo. Talvez por isso, esse seja um momento tão rico de planejar futuros. Se sairmos bem dessa, podemos voltar a girar o mundo em busca de primeiras vezes.


PORTO, QUE CIDADE MARAVILHOSA!

A minha sorte foi ter tido uma dessas experiências nunca antes vividas previamente do medo se instaurar nas pessoas. Em fevereiro, eu visitei uma cidade maravilhosa, grande, antiga, moderna, atmosférica, colorida, importante pela primeira vez: a cidade do Porto!


Segunda em tamanho, e talvez em importância em Portugal, o Porto é quase que um país diferente do país que existe dentro de Lisboa. A capital portuguesa me remete às cores cariocas, ao sol constante do Rio tão vibrante e com espaços abertos de encontro ao rio que vira mar tão rapidamente.


O Porto me pareceu estrangeiro. Cheguei de Lisboa na absurdamente bela estação de São Bento onde painéis de azulejos decoram as gigantes paredes e turistas entopem as passagens com selfies e vídeos. Meu lugar de pouso no Porto foi o Hotel PortoBay Flores.


UM HOTEL QUE NÃO É UM HOTEL QUALQUER

O prédio é do século 17 e foi transformado para abrigar o hotel. (Foto: Nara Vidal)

Aqui, é preciso parar e respirar. Eu já viajei bastante, já escrevi sobre hotéis impressionantes, mas nunca houve até então, a oportunidade de experimentar uma estadia dessas. O prédio do século dezessete foi transformado em um oásis de tranquilidade e requinte enquanto mantem características da arquitetura histórica - um hotel que tem uma capela barroca no jardim não é um hotel qualquer!


O serviço impecável dos funcionários sempre prontos para qualquer dúvida, fosse sobre o restaurante, fosse sobre a cidade, corresponde à expectativa. Quando fui levada ao elevador para o quarto 34, achei que haviam cometido algum engano.


Ao entrar na sala de estar do quarto, um sofá que caberia confortavelmente dez pessoas, um banheiro, as belíssimas janelas grandes de madeira era, o que imaginei, meu quarto. Juro que pensei que o sofá se transformaria em cama.

A cama do quarto 34: uma das melhores noites de sono da minha vida. ( Foto: Nara Vida)

Mas, quando o simpático e muito educado rapaz pergunta se quero minha mala no andar de cima, entendo que o que me foi oferecido foi uma estadia de rainha. E, aí eu subo as escadas iluminadas para chegar a um quarto absurdamente lindo, chique, simples onde eu tive uma das melhores noites de sono nos últimos meses.

Da varandinha dos fundos, uma vista espetacular para os tradicionais telhados da cidade. ( Foto: Nara Vidal)

O banheiro, amplo e com vista (assim como o quarto e a sala) para a catedral da Sé, é um banheiro com sala de chuveiro, sabonetes e creme Bulgari, duas pias, toalhas para cinquenta pessoas, um luxo! Não bastasse tudo isso, uma varandinha de fundos de onde eu vejo os telhados alaranjados dessa cidade impressionante.


UMA LOCALIZAÇÃO PERFEITA E PERTO DE TUDO

Ao sair do hotel, vire à esquerda e suba para a Torre dos Clérigos, para a belíssima Livraria Lello, a estação São Bento, a Catedral da Sé e muitos outros pontos turísticos impressionantes do Porto. Mas, vire à direita e desça em direção ao Rio Douro, passando pelo Palácio da Bolsa e contorne a margem do rio sem pressa por cafés e restaurantes que perfuma a cidade com cheiro de peixes assados, alho e vinho.


Ao atravessar a bela ponte Luís I, você chega à Vila Nova de Gaia onde todas as vinícolas do famoso vinho do Porto estão. Eu visitei uma que ficava fora da área mais obviamente turística e escrevo um texto só sobre essa experiência. Mas, talvez o que mais vale a pena dizer aqui é o quanto uma primeira vez nos impacta. A sorte de entrar na cidade do Porto pela primeira vez numa viagem perfeita no quarto 34, o mais lindo de todos.


Aqui, estão os dados para chegar à cidade do Porto de trem para quem curtiu minha dica:

  • Trem de Lisboa para o Porto 18 Euros

  • PortoBay Flores

  • Rua das Flores, 27, 4050-416


Continue seguindo o nosso time e convidadas também no Instagram e no Facebook.

0 visualização

siga!

  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle
  • YouTube - White Circle