• Guiga Soares

Dia dos Namorados e Santo Antônio, o santo casamenteiro: tudo a ver

Atualizado: Jun 27


Dia dos Namorados e Santo Antônio no Brasil tem tudo a ver. (Foto: Pixabay)

E, eis, que mesmo nesse estranho ano de 2020, o 12 de junho, dia dos Namorados, chegou! Isso no Brasil, é claro. Na maioria dos outros países, a troca de presentes entre os apaixonados é no 14 de fevereiro, dia de São Valentim, o conhecido “Valentine’s day”.

No caso brasileiro, a data está ligada, na verdade, ao dia seguinte, 13 de junho. A religião católica dedica esse dia a Santo Antônio. Nesse ano, pode ser que as comemorações do dia dos Namorados para muita gente seja diferente. Tudo por causa dessa lenta e confusa saída do isolamento social. Provavelmente, com beijos e abraços virtuais graças à tecnologia. Ainda bem!


SANTO ANTÔNIO ERA PORTUGUÊS

A igreja de Santo Antônio em Lisboa fica no local onde estava a casa onde ele nasceu no século 12.

Acho legal colocar uma pitada de história para a gente entender melhor essa devoção. Santo Antônio nasceu Fernando Antônio de Bulhões em Lisboa entre os anos de 1191 e 1195 – há dúvidas quanto a essa data. Era filho de uma família com boas condições financeiras. Cedo se dedicou aos estudos. Foi aluno da Universidade de Coimbra. Mais tarde, acabou se ordenando na Ordem Franciscana.

Viajou como missionário pela França e acabou na Itália, mas, precisamente em Pádua. Lá, faleceu em 13 de junho de 1231. Foi beatificado em 1232 pelo papa Gregório IX e canonizado no mesmo ano.

Santo António, com acento agudo mesmo, como os portugueses escrevem e pronunciam, é padroeiro de Lisboa e de Pádua e secundário de Portugal. Era conhecido como o padroeiro dos humildes e, também, pela ajuda que dava às moças solteiras que precisavam conseguir dotes para o casamento.

Conta a lenda que uma mulher desesperada para arrumar seu dote e casar se ajoelhou aos pés de uma imagem de Santo Antônio. Naquela época, ficar solteira era inadequado. Era um castigo para as mulheres. A mulher gritou palavras de súplica e de muita fé diante da imagem. Pouco tempo depois, moedas de ouro surgiram diante dos seus olhos. E, assim, ela pode então se casar pagando o seu dote. Parece que vem daí a fama de casamenteiro. Fama que atravessou o Atlântico com os portugueses e aqui chegou. E, se firmou!


4 "SIMPATIAS" DE SANTO ANTÔNIO PARA O NAMORO E O CASAMENTO

Ao longo dos anos e com a fama de santo casamenteiro, a comemoração de Santo Antônio ajudou a criar um monte de “simpatias”. As pessoas o procuram para ajudar nas questões do amor e do casamento.

Essas “simpatias’, rituais ligados à realização de um desejo, foram se espalhando dentro do caldeirão cultural que é a nossa sociedade. Pode perceber: tem sempre alguém com uma “simpatia” adequada para um problema específico. Como disse, faz parte da nossa cultura popular.

Abaixo, separei 4 das muitas “simpatias” conhecidas quando a devoção é com Santo Antônio. Quase sempre relacionadas a um casamento ou namoro. Já ouvi dizer por aí que Santo Antônio pode estar ainda de quarentena. Mas, como não custa nada tentar. Pode ser que ele ouça o pedido.

1.Tire o menino Jesus da imagem de Santo Antônio. Só o devolva quando conseguir um namorado ou uma namorada.

2. Coloque a imagem do santo de cabeça para baixo e faça seu pedido. Essa é bastante popular. Só volte a colocar de cabeça para cima quando alcançar o seu pedido.

3. Ponha a imagem de Santo Antônio debaixo de sua cama durante três noites seguidas. Na manhã do quarto dia, prepare um banho com a casca de uma maçã mais uma colher de sopa de mel. Dizem que uma pessoa especial vai cruzar seu caminho rapidamente.

4. Coloque uma imagem de Santo Antônio dentro do seu guarda-roupa. Todos os dias, antes de dormir diga: "Perdoe-me por deixá-lo sem ver a luz do dia, mas é assim que me sinto sem minha alma gêmea". Quando encontrar seu amor, retire o santo do armário.


A PROPAGANDA BRASILEIRA E O SANTO ANTÔNIO

A imagem de Santo Antônio e as "simpatias" da nossa cultura popular ( Foto: Pixabay)

Como tem coisas que parecem que só acontecem somente no Brasil, o nosso dia dos Namorados surgiu por causa de uma demanda comercial. Em 1949, o publicitário João Dória, o pai do atual governador de São Paulo, recebeu de um cliente uma incumbência: criar uma campanha publicitária para aumentar as vendas no mês de junho. O comércio ia muito mal nesse mês.

A sugestão foi criar um dia dos Namorados brasileiro exatamente antes do dia da celebração do Santo Antônio, o santo casamenteiro, o santo dos namoros. E, assim, aproveitar essa fama do santo. Deu certo. O cliente ficou feliz. As vendas cresceram. E, a data se consolidou.

Continue a seguir nosso time com suas histórias, dicas e experiências de vida pelo mundo. Acesse também o Instagram e o Facebook. Acompanhe nossas “Lives” no perfil @doriopraca.

33 visualizações

siga!

  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle
  • YouTube - White Circle