• Sonaira D'Ávila

O maravilhoso Parque das Aves em Foz do Iguaçu

Sabe aquele momento família que postei aqui nas férias de julho? Visitamos este espetáculo da natureza que são as Cataratas do Iguaçu e emendamos na segunda atração do nosso roteiro: o maravilhoso Parque das Aves em Foz do Iguaçu.

Saindo do Parque Nacional do Iguaçu, caminhamos na direção ao Parque das Aves que fica a mais ou menos 300 metros.

Entrada do Parque das Aves

O Parque das Aves é o lar, abrigo, de mais de 130 espécies de pássaros,1300 aves (52% resgatados de cativeiro e maus tratos), incluindo papagaios, periquitos , araras, tucanos e flamingos. E é a única instituição do mundo focada na conservação das aves da Mata Atlântica.


Lago dos Flamingos com detalhe do espelho ao fundo

Uma curiosidade sobre o Lago dos Flamingos, reparem no detalhe do espelho ao fundo. Ele amplia o tamanho do bando, dessa forma, eles se sentem mais protegidos e procriam com mais facilidade, interessante, não? Um passeio imperdível!

Este parque na verdade é um centro de conservação de espécies da Mata Atlântica e milhares de árvores nativas que foram plantadas para restaurar a floresta do entorno. São 16 hectares de Mata Atlântica totalmente restaurada. Muito além de ser uma atração turística, o parque é um projeto único que tem uma história linda de amor.


Todos, os viveiros são projetados para que façam parte da mata local, ou seja, são totalmente integrados. Só pra dar um gostinho, fiz um vídeo. Veja abaixo.



Tudo é pensado para introduzir os animais que foram resgatados ao seu habitat natural. Eles recebem os cuidados adequados para que se e que se recuperem o mais breve possível. Muitos, inclusive, nascem no parque graças aos projetos de reprodução das espécies em extinção: 35%, um sucesso, não é mesmo?


Em parceria com outras instituições, o parque envia para soltura aves que nasceram ali com chance de sobrevivência. As aves vivem em 5 viveiros de 8 metros de altura construídos na floresta. É possível caminhar dentro deles. Eu adorei a experiência. Foi um encantador tipo de imersão na natureza.


O passeio é feito por um trilha de 1,5 km. Enquanto, a gente caminha, vai entrando e saindo dos viveiros . É tudo muito bem sinalizado nas placas com os nome dos animais e detalhes.


No meio da caminhada, há algumas pausas pela floresta, além das lanchonetes, um trono de madeira ( foto acima), bancos e gaiolinhas de repouso. Me senti em casa.


Meu destaque vai para o Viveiro das Araras, ele é o maior viveiro de araras do mundo. Dá pra ficar horas por aqui. São mais de 100 aves de várias espécies voando e andando ao seu lado. Fiquei namorando esta da foto acima.


Periquitário é uma algazarra só. São diversas espécies de periquitos que você pode alimentar em alguns horários pagando um pequeno valor. A experiência de alimentar os pássaros é muito boa. Os tucanos e as seriemas são muito curiosos e sociais. Interagem e passeiam com a gente. São lindos. Consegui fazer essa foto abaixo do tucano sem muito problema.



Por razões das restrições sanitárias da Covid-19, algumas atividades estão suspensas no momento. Mas, isso não quer dizer que as que listei aqui sejam perda de tempo. Tudo vale nesse passeio de quase 4 horas. Fomos ao parque no final do dia. Fizemos o trajeto e praticamente fechamos o parque. Com certeza, ficou a vontade de voltar. Há outros animais para serem vistos, como tartarugas, jacarés, borboletas. Mas, as grandes estrelas são, sem dúvida, as aves.

É um lugar para passar o dia descansando e convivendo com as aves. Incrível a sensação de paz e integração com o todo.



Não deixem de nos seguir no Facebook e no Instagram. Nosso time sempre tem novidades dos locais onde vive.

Fotos: acervo pessoal

13 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo